Notícias

23 de Outubro de 2014

Empresários brasileiros são os que mais terceirizam os departamentos contábil e fiscal de suas companhias

De acordo com a mais recente pesquisa da Grant Thornton sobre outsourcing, termo inglês que significa terceirização dos serivços, o Brasil

é o país que mais terceiriza suas áreas contábil e fiscal. Dados do estudo mostram que 53% dos executivos brasileiros tem intenção de terceirizar

a área contábil, acima da média mundial (40%). A pesquisa foi realizada com 3.300 líderes empresariais em 45 países. Na visão dos empresários brasileiros, os principais motivos

para recorrer à terceirização são: redução de custos, aumento na eficiência, acesso a profissionais mais especializados e mitigação de riscos para garantir a perenidade da companhia.

Segundo Denis Satolo, sócio da Grant Thornton Brasil responsável pela área, existia uma ideia errada de que terceirização significava perda do controle e de eficiência. "Uma notável consequência do outsourcing é a melhora do controle financeiro. As empresas passam a atuar de forma mais segura e protegida contra as sanções da Lei Anticorrupção, em vigor desde janeiro de 2014.

Os departamentos de principais alvos de terceirização no Brasil são contábil (78%), fiscal (63%), TI (53%), RH (36%) e serviços financeiros (20%). "Os empresários descobriram que essa é a melhor saída para focar maior energia no negócio ao invés de desperdiça-la em áreas do back-office", afirma Satolo.

Fonte: Portal da Classe Contábil (www.classecontabil.com.br)

Ver todas as notícias